Entrevista Mimo com Nayara Fontenelle

Olá bolinhos de uva! Estou trazendo para vocês entrevista com a blogueira  Nayara Fontenelle. A moça é estudante de psicologia, ativista Social, inspiradora de Histórias, apaixonada por Fotografia e Literatura. Essa parte do blog, é o Mimo do Jornalismo Na Alma, que escolhe os melhores blogs para presentear com um mimo e fazer uma entrevista. Tenho certeza que vão super amar. E aproveitem para dar uma passadinha no blog dela depois!


Jornalismo na Alma - Como definiria a sua pessoa com apenas uma frase?

 Nayara Fontenelle - Eu sou indefinível.

Jornalismo na Alma - Como surgiu a ideia do nome do blog?

Nayara Fontenelle - Surgiu de uma necessidade minha de escrever relatando o que me acontecia, o que vivenciava. A criação do Divâ foi de fato uma proposta terapêutica, lá eu poderia assumir a personagem (Tia eni) e ser o que de fato era, sem máscaras.

Jornalismo na Alma - Sobre o que fala o blog?

Nayara Fontenelle - O Blog é um misto de diversos interesses meu, ali é o espaço onde relato histórias que vivo no setor social, meus trabalhos com Psicologia, intervenção comunitária, movimentos de juventudes, projetos sociais. Mas também é o espaço onde divulgo um pouco dos meus saberes sobre políticas de juventude, psicologia, empreendedorismo social e ainda compartilho experiências pessoais como relacionamentos, aspirações, desabafos e relatos de experiências. O divâ da Tia eni, é de fato um set analítico!

Jornalismo na Alma - Há Quanto tempo existe o blog?

Nayara Fontenelle- O blog existe há pouco mais de três anos, tive vários problemas pra manter a conta, assim como as pessoas tem pra manter a terapia, ele acompanha minha vida, quando tenho crise tiro o site do ar, quando estou feliz o site, as visitações e as postagens aumentam, é sempre assim.

Jornalismo na Alma - Quais são seus maiores vícios e desejos? Por quê?

Nayara Fontenelle - Meu maior vicio é escrever, acho que dessa forma consigo ser quem sou, é através das letras que me faço representada, ouvida, sentida e compreendida, as letras são minha forma de conexão com o mundo. Meu maior desejo é por conseguir realizar um movimento de transformação no mundo e através das minhas habilidades poder dar minha contribuição, essa transformação que falo é na realidade uma transformação social na essência do que quer dizer a palavra social, a revolução do amor, onde pessoas consigam de fato viver em sociedade, em comunidade, em paz, esse é um de meus maiores desejos. Tenho outros que são mais intimistas como lançar um livro e casar com um padre (Risos) (isso são cenas do próximo capítulo)

Jornalismo na Alma - Qual o melhor post que você fez no blog? Por quê?

Nayara Fontenelle - O post mais acessado que tenho é um texto chamado “Estranhamento”. Ele foi escrito inicialmente por uma motivação acadêmica, meu professor de Psicologia Social propôs para a turma esse exercício de reflexão, estranhar o que nos é comum. Então acabei colocando em palavras os estranhamentos que tocavam meu coração naquele momento, o texto alcançou uma visibilidade incrível que eu de fato não esperava, ele trata sobre uma reflexão acerca do celibato, a representação dos sacerdotes católicos e a relação que os fiéis e a própria igreja tem com esses homens, sem levar em conta o sofrimento que toda essa “alienação” causa.

Quem ficar interessado e quiser ler o texto na íntegra só acessar o link abaixo:


Há outro texto que foi publicado como artigo de opinião no Portal de Controle Social de Sarandi, que também teve bastante visibilidade, a publicação não foi estimulada por mim isso foi o mais incrível, esse texto trata um pouco sobre a minha indignação sobre o setor social e os novos rumos que vem tomando. Esta disponível no link abaixo:


Jornalismo na Alma - O que é preciso para ser uma blogueira de sucesso?

Nayara Fontenelle - Para se ter sucesso realmente não sei, mas sei que se você gosta de escrever ter um blog, ainda que sem sucesso, pode ser algo maravilhoso.

Jornalismo na Alma - O que não pode faltar na bolsa de uma mulher?

Nayara Fontenelle - Na minha? Dinheiro! (Risos)

Jornalismo na Alma - Qual seu livro preferido? Por quê?

Nayara Fontenelle - Não saberia apontar meu livro favorito, mas te digo meu livro de cabeceira atualmente: Tempus Fugit – Rubem Alves. É um livro lindo para se saborear aos poucos e refletir.

Jornalismo na Alma - Qual seu cantor (a) preferido (a) Por quê?

Nayara Fontenelle - Não tenho cantores favoritos, talvez desenvolva algumas relações especiais com musicas, letras, mas cantores talvez não. Hoje a música que toca meu coração é Boston – Augustana.

Jornalismo na Alma - Para finalizar, diga qual o melhor benefício em ter um blog.

Nayara Fontenelle - Escrever, poder deixar em casa frase um pouco da minha história e da minha alma para que os realmente interessados e fortes possam desvendar, isso sim é imaterial, não tem preço.




Abraços felizes para nós crianças \o/