Aspirantes a Pesquisadores - O Público Alvo em potencial


Estudar no país em que vivemos não é pra qualquer um. Estudar Psicologia na região em que moro, não é pra qualquer um! Estudar Psicologia na universidade corporativista e burguesa a qual estudo, definitivamente não é... (pois é você já sabe). Agora imagina estudar Psicologia em uma universidade corporativista, burguesa, lotada de modeletes lânguidas de voz anasalada que conseguem tudo através de pactos sociais, troca de favores, influências familiares, babações e presentinhos fofos e caros? Pois é, esta situação é somente para quem realmente possui a absurda capacidade de entrar na onda e se tornar adepto da fórmula do “sucesso acadêmico feliz”.

O passe para um mestrado de sucesso e uma brilhante vida acadêmica está em perseguir e conquistar a atenção de determinado professor mestre, a qual será seu dono líder pelas próximas cinquenta encarnações. Não reprove absolutamente nenhuma cadeira na universidade mesmo que isso te custe caro (literalmente), pois um histórico limpo é pré-requisito para o glamour da academia. Relaxa, você não precisa aprender tudo, ler tudo, ser bom em tudo, apenas não reprove e deixe para os outros o trabalho pesado de realmente estudar e aprender algo. Tenha no mínimo 500 horas de atividades extracurriculares, de preferência algo relacionado a palhaços e brincadeiras em um hospital para crianças com câncer ou quem sabe abrigo de velhinhos, pois a humanização que isto representa é bastante vendável. Discorda? Você não viu o faturamente alvoroço que Patch Adams causou no campus da universidade que estudo semestre passado. Professores chorando, distribuição de narizes vermelhos gratuitos, seguranças de jaleco com decoração da Hello Kity (exagero da eni) e mais R$ 500 em uma palestra! Enfim, confie em mim!

Publique o maior número de artigos que conseguir, não importa se você muda apenas a ordem dos parágrafos no texto ou alterna as referências bibliográficas, se você fala exatamente o que o autor falou utilizando a merda  brilhante palavra argumentação que ele usou (há séculos atrás) concordando ou discordando nem precisa de criatividade, o mundo acadêmico é padronizado meu amigo não pense muito, publique e seja feliz seu Lattes agradece! Gaste todos as suas moedas em palestras, fóruns, workshops, congressos e a parafernália que pregam no mural do seu bloco ou no CA, não esqueça ainda de adquirir todas as Xerox, indicações de leituras e demais dicas que possa conseguir. É hora de crescer e martelar o cofre, seja Donatello ou Mikey se despeça de seu companheiro de adolescência, pois a universidade (corporativista e burguesa como eu já te disse!) exige que você consuma! Em eventos acadêmicos não esqueça os certificados e claro é sempre importante dar o ar da graça, uma hora ou outra, pois nestes espaços é que estão os futuros investidores professores em busca de substitutos revelações para pesquisas acadêmicas futuras, seu rosto tem de estar presente. Repito você não precisa saber tudo, ser inteligente, criativo, empreendedor, brilhante, nãaaaao! Você só precisa parecer isso tudo e estar presente na hora certa, no momento correto da maneira ideal ao lado do professor adequado. Continuando...

Leia apenas e unicamente o autor, a obra, a edição do ano exato que seu mestre professor carrega consigo. Se você é estudante de Psicologia trate logo de tomar partido de alguma abordagem e definir quem é o seu arqui-inimigo, pois assim sendo também terá seu alvo mestre pré-estabelecido. Humanista, Psicanalista, Comportamental e demais ramificações, quanto mais cedo você escolher mais tempo terá para disputar atenções e argumentações nos espaços em que estiver. A fundamentação teórica é pré-requisito para a clínica e o futuro/sonhado/glorificado/esperado/almejado mestrado em Psicologia, mas diante a guerra fria que encontramos nos cursos superiores da minha cidade a minha dica é: escolha um lado, pois se ficar em cima do muro clamando pela psicologia social irão te derrubar!

Estudar Psicologia em uma universidade corporativista, burguesa, lotada de modeletes lânguidas de voz anasalada que conseguem tudo através de pactos sociais, influências familiares, babações, presentinhos fofos e ainda ser pobre é UM INFERNO! A exclusão social sofrida por aqueles que não possuem contatos dentro da universidade, que por motivos não declarados não conseguem apadrinhamentos de professores e que ainda simpatizam com a Psicologia Social, pregando sobre a crise epistemológica sofrida pela Psicologia e a unificação e complementarização de saberes acadêmicos, é massacrante! É praticamente um bullyng acadêmico! Hoje me pergunto se um dia conseguirei iniciar um mestrado e com os bem pés fincados no chão periférico onde moro temo pela resposta! (infelizmente).

Você me pergunta o resultado daqueles peixes fora d’água que não conseguem se enquadrar ao competitivo mercado do ensino superior. Eu te respondo: Não sei. Talvez eles invadam universidades armados e atirem por todos os lados na coordenação. Talvez abandonem os cursos e passem a trabalhar em um açougue, sapataria e etc... Talvez passem a fazer terapia e aprendam “a lidar com a realidade” (hahaha e custa caro!), ou quem sabe, desabafem em blogs na internet sobre suas incapacidades de se mecanizarem em prol de um mestrado feliz e o glamour de ser normal, porque quem tem blog meu querido, fala o que quer!

Outro dia ouvi um conhecido falar que a Psicologia era uma Patologia. Eu discordo. Acho que a forma como repassam e constroem os saberes Psicológicos é que tem se tornado Patológica. Mas eu não sou professora, não sou mestranda, sou apenas uma blogueira estudante-aprendiz quem vai me dar ouvidos não é mesmo? 


Quem sabe a internet ou Chico Buarque quando afirma que "A dor da gente não sai no jornal."

Tenham uma ótima semana crianças!