Até uns dias atrás apenas o coração estava massacrado, doído, comprimido, apertado. Hoje o copo todo dói, mal posso dar dois passos sem que os músculos reclamem e eu solte algum gemido contido de reclamação. Depressão? Cansei! Há inúmeras e criativas práticas na modalidade dor de cotovelo camuflada, democraticamente para todos os gostos e bolsos e eu, que não tenho condições de manter compulsões por compras e viagem, tratei de arranjar um meio de sair da inércia. Hoje eu sei que mudar dói, mas não se mover dá câimbra então eu decidi puxar ferro, isso mesmo, musculação.

Ao invés de me entupir de chocolate, que era o único que ainda produzia endorfina trazendo a leve sensação de que a vida pode ser doce, decidi aplicar serotonina na veia durante o Leg press. Agora não conto mais quantas vezes falo com sua caixa postal ou os dias que estou sem você, conto 3 séries de 8 e tô feliz, respiro satisfeita vendo minha perna inflar. Troquei as crises de pânico por corridas na pista de atletismo, em tese não há muitas diferenciações, continuo correndo não sei pra onde, sem motivo algum e vislumbrando o nada, sem fôlego, cansada e com palpitações. Quer saber a boa notícia? Larguei o rivotril sem crises de abstinências e consigo dormir sem sonhar com você há quase 15 dias. Aí depois sou apenas um corpo cansado com calorias perdidas, exausta demais pra sofrer por você. Saiu do banho e sou outra mulher, sempre uma nova a cada dia, disfarçada a base de autoafirmações, sorrisos e poses que é pra me convencer de que não preciso de mais nada, de mais ninguém.