Você é uma mistura de todos os homens que já conheci, sem nunca ser exatamente (nem de longe) parecido com eles. Frases que você diz, ideias que você tem, situações que nós vivemos evocam em mim um desespero conhecido de todos os infelizes fins que já tive antes de você. O problema é que eu já estou cansada de fins e você será a travessia, o meio, o caminho. O durante, o após e o pra sempre. Não haverá outro além ou após você em minha vida. O fim da nossa história sequer está cogitado em minha mente e eu não desejo me tornar nunca mais aquela que fui com todos os outros que vieram antes. Me ajuda?

Eu me reinventei quando o conheci. E acredite, não foi nada imposto, nem piegas ou doação demais. Foi natural e automático como uma Gestalt que se fecha, uma das mais belas transformações da vida. Foi um passo dado rumo a uma nova fase de mim, uma evolução. Antes de você eu era uma outra, totalmente estranha a mim: personalidade, sonhos, mágoas. Antes de você, eu jamais havia aberto mão de nenhum sonho meu. Mas no exato momento em que te amei senti que estavam sendo realizados todos os sonhos que tive na vida. Mas de vez em quando bate aquele desajuste de sentimentos, já que nem sempre entendo direito o que quero. E frequentemente fico um pouco apreensiva quando conquisto o que tanto desejo.

Eu rezei baixinho agradecendo por ter tido tanta sorte na vida, como se a minha luta pela felicidade tivesse mesmo acabando exatamente ali, onde começava a sua participação. Memórias, desenganos, mágoas, todo o peso, todo o erro, todo o resto enterrou-se no poço profundo do esquecimento. 

Eu criei outros sonhos com você, pois alguém sem sonhos é alguém que já morreu. Alguém que já tem tudo é alguém que não pode conquistar mais nada e que, sem nada para se querer muito, não se pode ser feliz. Mas tenho receio de me tornar uma mulher incrível me perdendo à sombra de um homem, também absolutamente incrível, mas que já não precisava mais de tanto esforço para me fazer feliz.

Vez por outra, os fantasmas antigos sobem do poço dos mortos para afugentar a alegria no mundo dos vivos. Pessoas fortes como você, de pele grossa e pés no chão não conseguem perceber a camada fina de assombração que os cerca, mas quanto a mim, meu amor, eu percebo, me afeto, me tremo de medo por mim e por você. Não desejo viver assombrada por aqueles que já se foram e pretendo sim me tornar forte como você. Me ajuda?