Eu respirei fundo e tapei os olhos com a mão direita que é pra dar sorte. Três longas inspirações ruidosas, três longas expirações aliviadas. Eu pensei em muitas palavras para te dizer naquele silêncio, mas engoli seco, uma a uma. O ar pesado que entrava nos meus pulmões naquela tarde chuvosa de uma segunda-feira triste ajudou para que eu não engasgasse com tudo que queria falar, mas não podia. Eu passei em mais uma etapa do teste: Eu não ofendi, magoei ou discuti com você. Você não merece. Ninguém merece alias, inclusive eu.

Aceito todas as críticas que você me faz, a desconfiança pelas minhas boas intenções, afinal eu já falei muita bobagem, já quebrei seu coração em diversas partes e entendo que não confie em mim, fui uma péssima menina. Aceito as suas ironias e sarcasmos e tolero sua frieza, avareza e grosseria. Se é isso que você tem pra me dar, se é isso que você se tornou, eu aceito, tudo bem. Abro os braços e faço força nos músculos da barriga para se contraírem e aguentarem o soco no estômago. Aceito, engulo e não devolvo porque aprendi com minha mãe e com várias pancadas da vida, que a gente só oferece o que tem e o que eu tenho pra te dar hoje e pelo resto dos meus dias é amor, eu aprendi a amar de volta.

Mas se você ainda não aprendeu como é isso, tudo bem, não precisa amar de volta também. Tá bom, a quem eu quero enganar não é? Precisa sim. Amar de volta é essencial, faz bem para a pele, para o coração, previne doença e colore a vida. A gente perde tanto tempo discutindo e lamentando aquilo que não foi que esquecemos de fazer acontecer o que ainda pode ser. A gente se magoa e relembra, remói, corrói e imortaliza a dor por tanto tempo que esquece os benefícios de amar de volta. O mundo acaba um pouco todo dia e não amar de volta é um desperdício de vida. Eu só queria que um dia qualquer você chegasse pra mim e falasse no meu ouvido que “tudo bem errar, tudo bem ser assim tão maluquinha” e que você me "ama também" porque amor mesmo, amor de verdade é peça única, sem troca ou devolução, amor a gente conserta, insiste, cola de volta. Amor a gente não desiste, amor a gente não lamenta, a gente inventa uma nova forma de ser amor.


Amar de volta é simples, é aprender a silenciar e respeitar o silêncio do outro, é deixar o abraço falar mais que todas as palavras que o cérebro pode formular e mais que tudo, ter coragem de abraçar. Amar de volta é ceder, compreender, beijar na testa, acolher. Entender a humanidade do outro, as falhas, aprender que o tempo do outro nem sempre é o seu. Perdoar e cuidar, poder ser o porto seguro, o ponto de partida e chegada de qualquer aventura, amar de volta é oferecer abrigo. Amar de volta é uma doação de si, é principalmente, o ato corajoso de ensinar aqueles que  não sabem amar, a amar de volta também. 

Amar de volta é corajoso, forte, valente, é aprender que é necessário perder algumas batalhas para que se possa ganhar a guerra, por isso, tudo bem você estar assim com essa energia do mal agora, tudo bem. Fala tudo, joga pra fora, critica, ofende, eu aguento, tudo bem. Depois de tudo isso ter ido embora eu sei bem o que fica, eu conheço o que tem no seu coração. Eu aguento porque eu te amo, porque aprendi a te amar. Se você não sabe mais como é, senta aqui, vem cá, segura a minha mão, eu vou te ajudar a lembrar.