Olha bem pra mim, repara no que sou. Olhe agora no espelho, encare alguns segundos. Percebe a diferença? Nota o quão desnecessário é tudo isso que você faz? Eu vim a este mundo a passeio, por pura despretensão de meus pais, que descuidaram da camisinha gozando a juventude, e não pretendo construir por aqui fortunas ou castelos. Quero apenas levar uma vida pacata e segura, minha bipolaridade já é desafio demais pra mim, não preciso de pessoas como você pesando ainda mais o dia.

Não estou em contagem regressiva para nada, pois sou livre dos padrões e alheia às expectativas. Por isso, afirmo com propriedade que compete sozinho aquele compete comigo. Não pretendo roubar espaços, afetos, atenções de ninguém. Relaxa, discreta como sou, prefiro sempre os bastidores. Gosto de ficar por detrás da cortina, escondida no fundo da plateia. Para mim é mais divertido a simplicidade do anonimato, os holofotes não me seduzem.

O seu maior inimigo é e sempre será você mesma. É no espelho que você encontra sua rival não em mim. Não complica a minha, nem a sua vida vai... Não torna complexo algo que é simples e ao alcance de uma piscada de olho. Para, pensa e enxerga: Mulher que é Mulher, Mulher que é Mulher de verdade, com “M” maiúsculo e tudo mais, se basta sozinha. Não precisa descer o nível com joguinhos fúteis ou criar e incitar rivalidades para inflar o próprio ego. Isso é medieval, da época das cavernas, da época em que éramos bichos, desprovidos de racionalidade. Isso só entrega o seu desespero desequilibrado em busca de uma autoafirmação infantil. Uma Mulher de verdade é segura de si, sabe o que quer e busca por caminhos lícitos suas conquistas.

Uma Mulher de verdade conquista, essa é a verdade. Não preciso dar o golpe da barriga ou o golpe da moça recatada. Não sou boa jogadora, odeio mentiras, porque no fim de tudo só o que é de verdade é que fica, só uma Mulher de verdade permanece. Por isso peço que olhe no espelho mais uma vez, percebeu a diferença? Pois é!